Clássicos da Aviação: Boeing 777

O Boeing 777 é um avião widebody de longo alcance, projetado e fabricado pela companhia norte-americana Boeing. É o maior avião bi-jato do mundo, com o motor mais potente já produzido. Pode transportar entre 283 e 368 passageiros na configuração de três classes, por até 17.000 km, ligando as principais capitais sem escala.
As principais características visuais do Boeing 777, que o diferem dos demais aviões, são o diâmetro de suas turbinas turbofan (são as maiores do mundo), seu trem de pouso com seis pneus cada (total de 12), e sua fuselagem tipicamente circular e comprida.
 O 777-200LR, apresentado no “Paris Air Show” de 2005, é o avião comercial com maior alcance, apenas atras do KC-10 Extender, avião tanque da Forca Aerea Americana. Em março de 2012, a Emirates recebeu o 1.000º 777. A Emirates é a unica companhia no mundo que opera as seis versões do modelo, sendo cinco comercias (777-200, -200ER, -200LR, -300 e -300ER) e o 777F (Freighter), a versão cargueira, sendo um 777-200LR adaptado para carga mas com alcance reduzido.
Este avião (também chamado de Triple Seven pelos americanos) foi desenhado para ter uma capacidade de carga e passageiros intermediária entre o Boeing 767 e Boeing 747. O modelo original produzido foi o 777-200, que entrou em serviço em 1995, seguido do modelo 777-300, com mais 10,1 metros de comprimento, entrando em serviço em 1998.

As versões longer-range (LR) e extended-range (ER), com maiores alcances em voo, entraram em serviço em 2004 (ER) e 2006 (LR). A versão freighter (777F) voou pela primeira vez em 2008. Os modelos ER, LR e 777F funcionam com motores General Electric GE90 e winglets (3,9 metros). O modelo 777-200LR é o detentor atual do recorde de maior distância percorrida sem escalas (21.601 km entre Hong Kong e Londres, via EUA).
A primeira empresa a utilizar o Boeing 777 foi a United Airlines. A partir de 2008 a Singapore Airlines passou a operar a maior frota do avião em todo mundo. O modelo mais utilizado atualmente é o 777-200ER, com 410 unidades entregues até 31 de maio de 2009.
 No total, 56 companhias encomendaram 1.107 aviões, e 784 já foram entregues. O simbólico setingentésimo septuagésimo sétimo avião a ser produzido (777º) foi vendido à companhia Air France.

Durante a década de 2000, o 777 permaneceu como um dos aviões mais vendidos da Boeing. Devido aos crescentes custos com combustíveis nesse período, as empresas aéreas optaram pelo 777 como uma alternativa muito eficiente frente aos outros aviões widebody. Seus motores são 40% mais potentes e consomem 22% menos combustível que o B767.
 Por isso está sendo largamente usado nas rotas longas, transoceânicas e transcontinentais. O Boeing 777 compete por mercado diretamente com o Airbus A330-300, Airbus A340, e futuramente com o Airbus A350 XWB.
CARACTERÍSTICAS
O 777 se destaca por ser o maior birreator a jato existente na atualidade, e por ter sido totalmente planejado com o uso de computadores, eliminando assim a necessidade de construção de um mock-up em tamanho real, além de permitir aos engenheiros testar os sistemas em conjunto em situações simuladas de voo.

Um fato que chama a atenção na concepção da aeronave, é que desde o início do projeto, pilotos das companhias aéreas lançadoras do tipo foram chamados para auxiliar nos trabalhos, o que deu ao 777 um cockpit com funções e design feitos para um melhor conforto na pilotagem. Também é a primeira aeronave fly-by-wire da Boeing, ou seja, todos os comandos executados pelo piloto são transmitidos através de impulsos eletrônicos, eliminando o uso de cabos.

Dentre os diversos avanços presentes no 777, dois merecem destaque: suas asas e seus motores, que lhe deram muita eficiência aerodinâmica, combinada com uma potência suficiente para subir a grandes altitudes de forma rápida, e desenvolver uma boa velocidade de cruzeiro. Em termos comparativos, o 777 é mais silencioso que o Boeing 767, mesmo tendo 40% a mais de potência. Ele é um avião que apresenta várias configurações de assentos como 2x5x2, 3x4x3 e 3x3x3.
VARIANTES

777-100

Uma versão de menor capacidade do Boeing 777, foi oferecida à Continental Airlines e à Delta Airlines, como uma opção aos velhos L-1011 e DC-10 das frotas de ambas as companhias, mas ambas as empresas recusaram a oferta da Boeing. Isto levou a última a modificar o 777-100 no 767-400ER, para satisfazer às necessidades de ambas as linhas aéreas.
Cabine de Passageiros do B777 – Classe Econômica

 777-200

O modelo básico do 777-200. Primeiro cliente foi a United Airlines, que recebeu o primeiro 777-200 em maio de 1995. Peso máximo de decolagem é de 247,210 toneladas e alcance máximo de 9,695 km. Sua capacidade de passageiros é de até 315 passageiros em duas classes. As opções de motores são dois turbofans Pratt & Whitney PW4077, General Electric GE90-77Bs ou Rolls Royce Trent 877s. O concorrente direto deste modelo é o Airbus A330-300.

777-200ER (Extended Range)

Originalmente designado como 777-200IGW, foi criado como uma opção de maior alcance do 777-200. O 777-200ER possui características como maior capacidade de carregar combustível, peso máximo de decolagem de 286 toneladas, e alcance de 14,316 km. ER significa Extend Range (Alcance Estendido). O primeiro cliente foi a British Airways, que recebeu a primeira aeronave em fevereiro de 1997.
Cabine de passageiros B777 – Classe Executiva
O 777-200ER pode ser motorizado com motores: Pratt & Whitney PW4084, Rolls-Royce Trent 884 e General Electric GE90. O Rolls Royce Trent 800 é o principal motor do 777, correspondendo por 43%. O motor é usado na maioria dos 777-200, ER e 300 mas não é oferecido no 200LR e 300ER.
O avião detem alguns recordes, quando em abril de 1997, um 777-200ER da Malaysia Airlines voou da fábrica da Boeing em Seatle, até Kuala Lumpur, totalizando uma distancia de 20,044 km, em 21 horas e 23 minutos sem pouso para reabastecimento. O voo foi feito sem passageiros a bordo.
 O avião também é reconhecido por outro fato; o voo mais longo (192 minutos) relatado pela ETOPS, com o funcionamento de somente uma turbina feito pela United Airlines, com 255 passageiros a bordo em 17 de março de 2003 sobre o sul do oceano pacífico. Seu concorrente direto é o Airbus A340-300 e o futuro Airbus A350-900.

777-200LR (Long Range)

O Boeing 777-200LR tornou-se a aeronave de maior alcance quando entrou em serviço em 2006. É capaz de voar 17,446 km em 18 horas. Pode ser equipado com 2 turbofans General Electric GE90-110B1, ou GE90-115B turbofans. Pode carregar 301 passageiros divididos em 3 classes e 330 passageiros em 2 classes.
Cabine de Passageiros B777- Primeira Classe
O MTOW foi consideravelmente aumentado com a adição de três tanques auxiliares no compartimento de carga, novas asas, reforços estruturais e a adição de Wingtips.O 1º vôo foi realizado em 8 de março de 2005. O 777-200LR entrou em serviço em janeiro de 2006. A única aeronave fabricada com alcance superior ao LR, foi o KC-10.
O 777-200LR foi inicialmente proposto como 777-100X. Seria uma versão encurtada do 777-200, semelhante ao Boeing 747SP. Uma fuselagem encurtada permitiria mais peso na decolagem em favor do tanque de combustível, aumentando o alcance. 
A aeronave carrregaria menos passageiros do que 777-200, e aumentaria os custos de passageiros por assento. Em 10 de novembro de 2005, um 777-200LR conquistou o recorde de maior voo comercial non-stop com passageiros de Hong Kong, para Londres. A viagem durou 22 horas e 42 minutos totalizando 21,602 km.
O seu primeiro cliente foi a Pakistan International Airlines ou PIA, que o recebeu em Fevereiro de 2006. Seu concorrente direto é o Airbus A340-500, com 700 km a menos de alcance, porém livre das restrições da ETOPS, e futuramente o Airbus A350-900R, com alcance proposto de 17,600 km.

777-300

Criado pela Boeing como um substituto dos 747-100 e 747-200, possuindo similar capacidade de passageiros e alcance, mas gastando um terço a menos de combustível, e 40% menos de gastos com manutenção.

A principal característica do 777-300, é a fuselagem alongada (10,1 m), comparada com a versão -200, tendo capacidade de carregar 550 passageiros em uma única classe, e é 13 toneladas mais pesado. O alcance com 368 passageiros divididos em 3 classes é de 11,135 km e 340 em duas classes. É equipado com dois turbofans PW4098, RR Trent 892 ou General Electric GE90-94B.
O primeiro cliente foi a Cathay Pacific, que começou a operar 777-300s em maio de 1998. Desde a introdução do 777-300ER em 2004, todos os operadores preferiram a versão ER do que a versão -300. O concorrente deste modelo é o Airbus A340-600.

777-300ER (Extended Range)

O Boeing 777-300ER é a versão Extended Range (Alcance Estendido) da versão 777-300, e contém algumas modificações, incluindo os motores General Eletric 90-115B, que são os motores aeronáuticos mais poderosos do mundo. Outras características incluem asas com desenho mais moderno, fuselagem reforçada e mais pesada e maior alcance, que é de de 14,685 km.

O programa 777-300ER foi lançado pela Air France, apesar de razões políticas, a Japan Airlines anunciava que era a empresa lançadora do modelo. O 1º voo do 777-300ER foi em 24 de fevereiro de 2004. A 1ª entrega foi para a Air France, em 29 de abril de 2004. Desde a introdução no mercado da versão -300ER , 6 anos após a 1ª entrega do -300, todos os pedidos da série -300 séries foram para a variante ER . O competidor direto do 777-300ER é o A340-600HGW.
No Brasil, a TAM, conta com 4 aeronaves do modelo. Operam os voos para Santiago do Chile, Frankfurt e Londres.
Operador Brasileiro
O B777-300 ER no Brasil é utilizado pela TAM 

777 Freighter

O 777F é uma versão para cargas do 777-200 com expectativa de entrar em serviço em 2008. Contém características do 777-200LR e o 777-300ER, usando do -200LR os reforços estruturais e os motores GE90-110B1, com os tanques extras e o trem de pouso da versão -300ER.
 Com carga útil de 103 toneladas, a capacidade do 777F, será similar as 112 toneladas do 747-400F, com quase a mesma capacidade de carga útil. A Boeing anunciou que o 747-8 oferecerá carga útil superior que a versão 747-400F, assim, o 777F será um substituto do antigos 747F e MD-11F cargueiros.

O 777F será capaz de exercer operações mais econômicas na faixa de 100 toneladas. Com a mesma capacidade de combustível do 777-300ER, o 777F terá alcance de 9,065 km com a carga máxima. Com isso, será capaz de fazer voos non-stop sobre o oceano pacífico.
A Airbus já tem em desenvolvimento competidores, que serão o A330-200F, que apesar de ser menor, e ter menor capacidade de carga, será uma opção mais econômica, e futuramente o proposto A350-900F.

777 Tanker (KC-777)

O KC-777 é uma proposta da versão tanque do 777. Em setembro de 2006, a Boeing publicou um anúncio de que estava pronta e disposta a produzir o KC-777, se a USAF pedisse uma aeronave tanque maior do que o KC-767. Além do mais, a aeronave seria capaz de transportar cargas e pessoas.

KC-777 da USAF

 OPERADORES

As companhias com mais Boeings 777
(em serviço até junho de 2009)
Posição Maiores Operadores Número
=Emirados Árabes Unidos Emirates Airlines 78
Singapura Singapore Airlines 76
França Air France 55
4 Estados Unidos United Airlines 52
5 Estados Unidos American Airlines 47
6 Reino Unido British Airways 44
7 Japão All Nippon Airways 42
8 Japão Japan Airlines 36
9 Hong Kong Cathay Pacific 28
10 Arábia Saudita Saudi Arabian Airlines 23
11 Estados Unidos Continental Airlines 20
12 Tailândia Thai Airways 20
13 Países Baixos KLM Royal Dutch Airlines 18
14 Canadá Air Canada 17
15 Malásia Malaysia Airlines 17
16 Estados Unidos Delta Airlines 16
 ACIDENTES E INCDENTES
  • Em 24 de agosto de 2004, um 777-312 da Singapore Airlines, teve um dos motores sériamente danificado devido uma explosão durante a decolagem no Aeroporto de Melbourne. A conclusão foi de que partes do motor estavam corroídas pelo desgaste com o tempo.
  • Em 1º de março de 2005, após o pouso no Aeroporto de Manchester, um 777-200ER da PIA, foi visto fogo no trem de pouso esquerdo, após dada a noticia, a tripulação imediatamente evacuou a aeronave, que sofreu pequenos danos.
  • Em 1º de agosto de 2005, um 777-200ER da Malaysia airlines, durante o voo na rota Perth (Austrália Ocidental)-Kuala Lumpur, indicava baixa velocidade e baixa altitude. A tripulação desligou o piloto automático, e fez um pouso de emergência em Perth. Mais tarde conclui-se que este mesmo problema já havia acontecido na aeronave anos antes.
  • Em 17 de janeiro de 2008, um 777-200ER da British Airways, na rota Pequim-Londres, não conseguiu pousar no Aeroporto de Londres Heathrow. A aeronave pousou antes da cabeceira da pista, perdeu parte das asas e o trem de pouso entrou em colapso. As investigações indicam que por causa da temperatura exterior, o combustível congelou durante a aproximação, e quando o piloto automático aumentou a potencia dos motores ao aproximar-se da pista, os tubos que levam o combustível ao motor emtupiram, provocando o desligamento dos motores. Este foi o acidente mais grave envolvendo um Boeing 777, e o 1º em que um modelo sofreu perda total.
Vista do 777-200ER da British Airways acidentado.

 FICHA TÉCNICA



777-200 777-200ER 777-200LR 777 Freighter 777-300 777-300ER
Tripulação Técnica 2
Capacidade de passageiros 290 (3-classes)
315 (2-classes)
301 (3-classes)
400 (2-classes)
301 (3-classes) N/A 368 (3-classes)
451 (2-classes)
365 (3-classes)
Comprimento 63.7 m 73.9 m
Envergadura 60.9 m 64.8 m 60.9 m 64.8 m
Altura da Cauda 18.5 m 18.8 m 18.6 m 18.5 m 18.7 m
Largura da Cabine 5.86 m
Largura da fuselagem 6.19 m
Capacidade de Carga 150 m³ 636 m³ 200 m³
Peso Vazio 139,225 kg 142,900 kg 148,181 kg 160,120 kg 166,881 kg
MTOW 247,210 kg 297,560 kg 347,450 kg 299,370 kg 351,534 kg
Velocidade Cruzeiro 0.84 Mach (566 mph, 905 km/h, 489 knots) em 35,000 pés de altitude
Velocidade Máxima de Cruzeiro 0.89 Mach (587 mph, 945 km/h, 510 knots) em 35,000 pés de altitude
Alcance Máximo em Carga Máxima 6,020 km 10,740 km 13,890 km 9,065 km 7,035 km 10,190 km
Alcance Máximo 9,695 km 14,260 km 17,500 km 9,065 km 11,135 km 14,685 km
Tamanho necessário da pista em MTOW 2,500 m 3,536 m 3,410 m 3,200 m
Capacidade Máxima de combustível 117,000 L 171,160 L 202,290 L 181,280 L 171,160 L 181,280 L
Teto de Serviço 43,100 pés (13,140 m)
Motores (x 2) Pratt & Whitney PW 4077
Rolls-Royce
Trent 877
General Electric
GE90-77B
PW 4090
RR 895
GE90-94B
GE90-110B1
GE90-115B
GE90-110B1 PW 4098
RR 892
GE90-94B
GE90-115B
Empuxo (x 2) PW: 77,000 libras (330 kN)
RR: 77,000 libras (330 kN)
GE: 77,000 libras (330 kN)
PW: 90,000 libras (400 kN)
RR: 95,000 libras (420 kN)
GE: 94,000 libras (410 kN)
GE: 110,000 libras (480 kN)
GE: 115,000 libras (510 kN)
GE: 110,000 libras (480 kN) PW: 98,000 libras (430 kN)
RR: 92,000 libras (400 kN)
GE: 94,000 libras (410 kN)
GE: 115,000 libras (510 kN)

AERONAVES COMPARÁVEIS
Fonte: Wikipédia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s