Aviação Nacional: Expansão da aviação para o interior faz ‘caçulas’ ganharem mercado

Nessas férias de janeiro, uma em cada três pessoas que viajou de avião pelo Brasil foi levada pelas empresas “menores” do setor aéreo – Trip, Azul e Avianca. Por conseguirem atuar de forma rentável em cidades pequenas e médias, elas ganharam participação no mercado doméstico, ainda bastante concentrado nas mãos de TAM e Gol. Agora, buscam espaço também no aeroporto de Congonhas, na maior metrópole do País.

Em janeiro de 2011, TAM e Gol dominavam 86,5% do mercado nacional, enquanto as três menores detinham uma participação total de 13,5%. De lá para cá, as caçulas conquistaram terreno de forma mais ou menos constante. 
No mês passado, a mudança no cenário já podia ser notada: TAM e Gol somavam 77,2%, e Trip, Azul e Avianca chegaram a 22,8% do chamado “market share” das aéreas. Ou seja, em dois anos, 10% do mercado brasileiro mudou de mãos. 
Na semana passada, uma reunião da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) para divulgar dados do setor mostrou que essa transformação está em pleno curso. O relatório apresentado apontava que, na comparação entre janeiro e dezembro, a Trip foi a empresa que mais aumentou a oferta de assentos (13,13%), a que mais se aproveitou do aumento da demanda de passageiros (24,75%) e a que teve maior ganho de aproveitamento na ocupação dos voos (7,15%).
A explicação, segundo especialistas, é que a aviação brasileira “cresceu para o interior” nos tempos recentes. “TAM e Gol usam aviões grandes, e não é toda cidade que elas conseguem operar com esses aviões cheios”, diz Adalberto Febeliano, consultor técnico da Abear e ex-diretor da Azul. “As empresas ‘menores’ aproveitaram que Gol e TAM saíram dessas rotas menos rentáveis para ganhar participação”, diz Cláudia Oshiro, economista que acompanha o setor na consultoria Tendências.
As cidades médias veem de perto a transformação. Naquelas que têm movimento suficiente para atrair TAM e Gol, a concorrência é forte. Maringá (PR) tem 18 voos diários, divididos por Azul, Trip e Gol. Londrina (PR) tem 12, operados por TAM, Gol, Azul e Trip. 
As quatro empresas também disputam os passageiros de Uberlândia (MG), uma cidade com 620 mil habitantes e que possui nada menos que 29 voos diários. “Num lugar como esse, as tarifas normalmente são menores, porque existem mais opções”, diz Febeliano.

Avião da Gol decola em Congonhas: após crescerem, “caçulas” querem o aeroporto da maior cidade do País. (Foto: Getty images)

Em outros casos, as companhias brigam em mercados distintos. A Azul/Trip – as empresas se uniram em maio do ano passado – terá, por exemplo, voos diários em Pelotas (RS), mas será a única a operar diariamente no município, que tem 320 mil habitantes. “As ‘menores’ ganharem participação não significa que a concorrência aumentou, porque elas disputam mercados diferentes. Na verdade, a TAM e a Gol também cresceram nos últimos anos, mas as outras cresceram mais”, explica Febeliano.

Esses mercados, contudo, podem se sobrepor – e não apenas em cidades “médias” como Londrina e Uberlândia. Nas últimas semanas, o setor trava um debate sobre o uso do aeroporto de Congonhas, em São Paulo. 
A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) divulgou que irá rever a norma que regulamenta o uso de aeroportos no País. A Secretaria de Aviação Civil (SAC), então, propôs um texto específico para mudanças em Congonhas.
No projeto, as empresas que mais usam o aeroporto, TAM e Gol, perderiam espaço de operação para Azul e Trip. “Congonhas é uma exceção, porque ainda é muito concentrado em Gol e TAM”, diz Febeliano. 
 Para resolver a questão, a Abear propõe que se aumente o número de voos em Congonhas . Assim, o bolo que Azul e Trip agora cobiçam ficaria maior – e mais fácil de ser dividido. Mas fontes afirmaram que o governo descarta aumentar a frequência de voos no terminal.

O bolo das aéreas

Participação das principais companhias no mercado doméstico

 
 
Fonte: Abear / dados de janeiro de 2013


Se a Azul/Trip cresceu ao aumentar a presença no interior do País, o caso da Avianca é diferente. A companhia dos irmãos José e Germán Efromovich pulou de 2,72% para 6,3% de participação no mercado nacional em dois anos, praticamente sem expandir o número de rotas. Mas a compra de 18 aviões da Airbus nesse período fez a capacidade pular de 240 mil para 615 mil assentos-quilômetro (índice que o setor usa para medir a oferta das companhias).
“Em 2013, planejamos ampliar nossa oferta em 22%”, afirma Tarcisio Gargioni, vice-presidente comercial e de marketing da companhia. Em maio, a Avianca começa a receber os cinco Airbus 318 programados para chegarem neste ano. “Estamos estudando a possibilidade de trazer mais, que seriam outros modelos Airbus”, diz o executivo. No processo, alguns Fokker 100 da empresa serão aposentados – são 12 em operação, que estão sendo tirados de uso aos poucos.
O resultado é que a Avianca teve o primeiro lucro da história em 2012, como adiantou o iG , ano em que as principais aéreas do país registraram fortes prejuízos.
 
Nos EUA, fusões
Se no Brasil a concorrência parece aumentar, nos EUA uma série de fusões têm reduzido o número de empresas aéreas no país. Neste mês, a US Airways e a American Airlines anunciaram uma união que criou a maior companhia do mundo no setor.
Foi a quarta grande operação do tipo na indústria aérea norte-americana desde 2008, quando a Delta Air Lines comprou a Northwest. United e Continental se uniram em 2010, e a Southwest Airlines comprou a rival AirTran Holdings em 2011. “Nos EUA, a busca da solução (para os balanços ruins das companhias) tem sido apostar na consolidação”, disse Eduardo Sanovicz, presidente da Abear, numa recente coletiva de imprensa.
“É complicado prever qual será o impacto dessa maior concorrência nos balanços das companhias brasileiras, o cenário está indefinido uma vez que o mercado espera uma recomposição nos preços das passagens para este ano”, afirma Oshiro, da Tendências.
Fonte: IG – Paraiba.com.br
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s