Nacional: Governo não dará dinheiro a companhias aéreas, diz ministro

O ministro da Secretaria de Aviação Civil, Moreira Franco, disse que o governo federal não vai injetar dinheiro diretamente nas companhias aéreas

Painel de voos em aeroporto
Painel de voos em aeroporto: segundo ministro, a saúde financeira das empresas não pode ser garantida às custas do contribuinte. (Foto: Wilson Dias/ABr)
Rio de Janeiro – O ministro da Secretaria de Aviação Civil da Presidência da República, Moreira Franco, disse hoje (23) que o governo federal não vai injetar dinheiro diretamente nas companhias aéreas. Segundo ele, a saúde financeira das empresas não pode ser garantida às custas do contribuinte. Moreira Franco disse, no entanto, que o governo pode ajudar com isenções, de forma criteriosa.
Ele disse que, na semana passada, houve uma reunião com representantes das quatro principais empresas aéreas brasileiras, durante a qual as companhias fizeram uma série de pedidos ao governo, que serão analisados nos próximos dias. 
“Eles pedem mudanças no critério de preço do combustível [querosene de aviação]. Eles querem que se pratique o preço internacional. Eles afirmam que [aqui] está mais caro do que lá fora. Outro pedido é que se aprove a Emenda Dornelles, que leve para o setor de aviação as isenções que são dadas ao transporte coletivo nas áreas urbanas. Eles solicitam a extensão à isenção que é dada à aviação regional das tarifas aeroportuárias a todos os aeroportos”, disse Moreira Franco.

De acordo com o ministro, o governo já fez o possível. “Por exemplo, já isentou a folha e criou o programa de aviação regional, que vai permitir que a operação das companhias aumente e se dê com mais segurança. Também já isentou as tarifas dos aeroportos regionais.”

O governo está construindo uma estrutura aeroportuária no país que, para funcionar bem, precisa de companhias aéreas robustas, segundo Moreira Franco. Ele defendeu ainda mudanças no Código Brasileiro de Aeronáutica, o qual considera muito antigo. Para ele, é importante, por exemplo, se discutir a participação do capital estrangeiro nas companhias aéreas, hoje restrito a 20% das ações da empresa.

Em entrevista à imprensa, o ministro também disse que o governo pediu às companhias aéreas que coloquem voos extras durante a Copa do Mundo de 2014, para garantir que haja ligação direta entre as 12 cidades-sede da competição. Segundo ele, as empresas receberam bem o pedido, mas ainda não deram uma resposta.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s